Nada de Cake Boss ou Magnolia Bakery: apaixone-se pela Zaro’s Bakery, em Nova York

red_rosetwo_cakes

Eu tirei uma tarde de sábado para caminhar pelo grandioso Grand Terminal. E, olha, o bichinho é grande! O famoso terminal tem de tudo um pouco: muitas lojas – incluindo um andar dedicado à Apple –  restaurantes e bons achados. Se quiser saber mais, basta clicar aqui. Detalhei tudo nest post.

Nessas minhas andanças – e, na hora da fome – encontrei uma padaria que eu simplesmente caí de amores. Sério. Eu, a louca obstinada, comecei a programar  minha rota diária para estrategicamente passar por lá quase que todos os dias que minha última viagem longa a Nova York. Mas, por acaso, descobri outras unidades que me quebraram o galho 🙂

A Zaro’s Bakery

Há vida além dos disputadíssimos Carlo’s e Magnolia Bakery, acreditem!

Se você é como eu e não se conforma em encarar filas para pegar um pequeno bolinho – e, além disso, gosta de fugir do óbvio-, essa padaria é uma ótima opção, pode acreditar!

Minha paixão inicial foi por um pãozinho de frutas vermelhas DELICIOSO. Sério, viciante! Custei a que abrir o leque para outras opções – e tudo vale (e muito) a pena. A qualidade é inquestionável e o custo-benefício é garantido.

Quem estiver com viagem programada a Nova York, anote a dica gastronômica. Vai lá e se joga, kkkkkkkkkkkkkk. Você não vai se arrepender.

ZaroBobkaChallah

(Fotos: Reprodução)

Sobre a Zaro’s

Há mais de 75 anos, a empresa oferece mais de 300 produtos, desde as famosas bagels, cheesecake e bolos de aniversário. A variedade de pães também impressiona. A produção se concentra na própria fábrica da empresa, localizada no Bronx (NY). Segundo a Zaro’s, a entrega é feita cuidadosamente para que os produtos se mantenham frescos.

A título de curiosidade, a primeira das então onze lojas surgiu justamente no Grand Central.

 

Alguns endereços

Grand Central Market Place

Newark Penn Station (East entrance)

Penn Station, New York  (7th Avenue entrance)

37th Street (501 Seventh Avenue)

Parkchester, The Bronx (Hugh Grant Circle)

 

Mais informações no site

Curiosidades sobre o Grand Central, em Nova York (#7dicas)

Olá, pípo!

Separei um sábado, na minha última estadia longa na minha queridíssima e muito amada, Nova York (puxo o saco mesmo, hahaha), para perambular. Nesse meu sábado digníssimo, resolvi me aventurar e bater perna por dois lugares que posso julgar como icônicos da Grande Maçã. Comecei pelo Grand Central e dei um pulo ao Eataly, local maravilhoso que falarei mais em outro post.

Sobre o Grand Central, há muitas ‘interessâncias’ por ali, viu! Por isso, decidi listar e comentar pra ocês 🙂 Podem acrescentar o lugar na lista de passeios ‘free’ que o negócio é garantido, haha 🙂

Para não perder o costume, listei 7 curiosidades do local.

Vamos começar?

grand_central_terminal_clock (1)

Foto: Reprodução Grand Central Terminal clock by cgc76 (https://www.flickr.com/photos/cgc76/)

  1. É a maior estação de trem do mundo

Segundo consta nos altos, o danado conta com 44 plataformas e 67 trilhos de ferro em dois níveis diferentes, o que faz dele a maior estação de trem em número de plataforma. Estima-se que, diariamente, cerca de 750.000 pessoas circulam pelo o terminal, mas o número pode atingir a 1.000.000 durante o período de férias. Mas, apesar do título, nenhum trem corre por ali.

  1. Achados e perdidos

O lugar abriga um dos maiores achados e perdidos do mundo. Para se ter uma ideia, cerca de 50.000 itens circulam por lá, todo ano.

  1. Decoração

Do lado de fora, encontra a escultura ‘Transportation’ e, com ela, o maior relógio de vidro da Tiffany do mundo. Mas o quer for ver no lado de dentro não deixará por menos. Além de se deparar com um relógio avaliado na bagatela de 10 milhões de dólares, entre olhando para teto e admire a pintura do céu estrelado. As luminárias completam a decoração impecável.

  1. Whispering Gallery

Graças a arquitetura da cúpula, a ‘galeria do sussuro’ permite que alguém sussurre em um dos lados do arco e seja ouvida por outra pessoa do outro lado, há mais ou menos 15 metros de distância. O som é propagado pelo teto.

  1. Wifi grátis, Apple Store e outras lojinhas

Sim, eu disse wifi grátis, pípo! kkkkkkkkkkkkkk. Isso porque, pra variar, a Apple ostenta uma loja (aberta) em parte do mezanino local. Se quiser comprar um tablet ou trocar seu Iphone, saiba que essa loja é bem menos disputada do que a da 5ª avenida.

Quanto às ‘outras lojinhas’, pode fazer compras na Banana Republic ou na MAC, se preferir. Opções por ali é que não faltam.

  1. Comidinhas

Na parte inferior do terminal, tem um paraíso com as opções de comida que preferir. Você encontra desde frutas e peixes frescos ao que sua imaginação lhe permitir. Particularmente, quando estou por lá, não saio de perto da Zaro’s Bakery, padaria que virou minha queridinha em Nova York (sim, já tem post fresquinho sobre a dita cuja). Mas, se quiser bater cartão na tradicional Magnolia Bakery, tem uma unidade por ali também.

Já os maníacos por café poderão sobreviver e se alegrar no Starbucks. E quem quer provar um genuíno chocolate belga, pode dar uma passadinha na Neuhaus Belgian Chocolat.

Shake Shack? Se bater vontade de comer aquele hambúrguer delicioso com batata frita onduladinha tem por ali também (sim, farei um post só dele).

  1. Tour

Se quiser saber mais, pode optar por um tour no Grand Central Terminal. Com duração aproximada de 1h15, começa todos os dias a partir das 09h. O valor do ingresso é de US$9 por adulto.

 

Como chegar

Pelas linhas 4, 5, 6, 7 e S. Desça na estação Grand Central Terminal.

A entrada principal fica na 89 E 42nd St.

 

Informações

Aberto diariamente das 5h30 às 02h.

Fechado durante o Natal, Ano Novo, domingo de Páscoa, Memorial Day, Independência (4 de Julho), Dia do trabalho e Thanksgiving (Dia de Ação de Graças).

Para mais informações, acesse ao site

 

P.s.: Farei outro post com dicas específicas do Grand Terminal em breve 🙂

Sobre viajar sozinha

Sentar no avião e não ter nenhum conhecido para contar o detalhe que deixou escapar durante o dia. Olhar para o lado e perceber que, diferente de você, outros passageiros tem o conforto de sua família. E que a sua não está por lá.

Viajar sozinha é descobrir que se está só, mas que, ao mesmo tempo, não se está. Você tem a si mesmo, tem seus sonhos, tem o mundo a seus pés. O que mais você precisa além de acreditar em si?

Lógico, você precisa vencer seus medos. Precisa eliminar esse monstrinho que insiste em te desanimar, que costuma te lembrar de que você não pode. Prove a ele o contrário. Tenha mais fé.

Continuar lendo “Sobre viajar sozinha”

LUGARES PARA SE JOGAR NAS COMPRAS EM NOVA YORK

Oi, galerê, como estamos?

Estava pensando com meus botões como poderia retornar aos blogs sobre minha nossa Nova Iorque querida com louvor  🙂

Foi então que uma palavra me veio à mente: COMPRAS.

kkkkkkkkkkkkkkkk

Vamos conhecer alguns lugares legais para comprinhas na GRANDE MAÇÃ?

Continuar lendo “LUGARES PARA SE JOGAR NAS COMPRAS EM NOVA YORK”