{SPFWn43} O ineditismo (e o show) da Apartamento 03 com o seu “Visconde Partido ao Meio”

O desfile que me deixou no chão. Mais uma temporada, a Apartamento 03, do grupo Nohda, comandado por Patrícia Bonaldi, mostra a que veio na passarela. Sob o brilhantismo do estilista Luiz Cláudio, a apresentação seguiu fazendo o que sabe fazer bem: arrancar suspiros e surpreender com um desfile fora da caixa.

Foi na poesia que ele se refugiou e foi buscar inspiração, mas especificamente na literatura de Italo Calvino, “Visconde Partido ao Meio”. Basicamente, ele buscou contrastar a dualidade que pode existir nas coisas: o leve com o pesado, o hi-lo, o girlie com o jeitão tomboy.

A matemática é simples: se teve transparência, também teve Vossa Realeza, veludo molhado. E que veludo! A alfaiataria perfeita também dividiu espaço com uma bela proposta assimetrica.

A apresentação foi feita no terceiro dia da SPFWn43, 15/03.

Extremamente desejável

Sai sem rumo da sala de desfiles, simplesmente um desfile descomunal e totalmente desejável. Com uma moda feminina e atual, o que se viu foi reflexo de uma mulher forte e que sabe o que quer.

Palavras da Vogue Brasil sobre o mestre:

“O ponto de partida do desfile da Apartamento 03, dirigida por Luiz Cláudio Silva, foi O Visconde Partido ao Meio, de Italo Calvino – alegoria sobre um visconde que, numa guerra, é partido ao meio por uma bala de canhão, dividindo-se entre a maldade e a bondade. Na coleção, tecidos aparentemente pesados foram usados de maneira leve, numa interessante dualidade. Com um quê japonista, a apresentação teve como ponto alto bordados sobre uma alfaiataria festiva, linda de se ver.” (veja mais em clicando aqui).

Sem dúvidas, o Luiz é uma das mentes mais criativas que temos na moda atual.

Sem delongas, vamos a galeria desse desfile mágico.

Reprodução: Vogue Brasil e FFW

REPRODICAO VOGUE apartamento-03-go-back_12REPRODUCAO VOGUE apartamento-03-go-back_1sou3189-654x981sou3212-654x981sou3230-654x981sou3296-654x981sou3320-654x981sou3342-654x981sou3376-654x981sou3436-654x981sou3451-654x981sou3473-654x981sou3542-654x981sou3570-654x981sou3590-654x981sou3695-654x981sou3733-654x981

#UmataldeFlavia : de pijamão para a SPFWn43 DAY 2

Claaaaaro que euzinha aqui não ficaria de fora da ‘tendença’ pijamão que tem andado por aí, né não, pípo, kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Afinal, estamos falando de peças extremamente despojadas, confortáveis, versáteis, soltinhas, estilosas, ai ai ai, só vejo vantagens e benefícios 🙂

Me rendi a proposta depois de muito observar a prevalência nos streets styles da vida, de Nova York a Paris. Aqui, vi desfilar e ganhar relevância nas mãos do talentoso Luiz, da Apartamento 03, que abriu o desfila da SPFWn41 dando destaque a peça.

Palavras ditas por…

RevistaGlamour, Pijama no street style (aqui)

“Desde a coleção underwear da Louis Vuitton repleta de slip dresses de seda, tipo camisola, e roupões na temporada de inverno 2014, a moda do pijamismo só cresceu. Tudo “culpa” do Marc Jacobs, o então diretor criativo da maison, que adora usar roupa de dormir como street style, ou até no red carpet. Mas pra ser bem “caxias”, Stella McCartney, Jonathan Saunders, Haider Ackermann e Jil Sander mostram looks de dormir versão street nas coleções de verão 2012. Pois bem, de lá pra cá, várias grifes de luxo aderiram ao estilo comfort wear.”

GNT Moda e Beleza, O pijama invadiu as ruas (aqui)

“Nada melhor do que poder usar roupas confortáveis, mas ainda assim, cheias de estilo.  A dica na hora de usar silhuetas mais despojadas é investir em estampas elaboradas e tecidos diferenciados, como o veludo ou a seda. Outro truque é apostar em acessórios marcantes para fazer o contraponto e chamar atenção para o visual.”

#UmataldeFlavia

Sim, é uma moda que exige atitude e muita confiança de quem usa, tem que ter um pouco de jogo de cintura mesmo. Não é todo mundo que se sente à vontade, sei disso.

Mas, por outro lado, quando vejo a oportunidade de abraçar uma moda leve e com um quê de criativa, de diversão, sabem que me jogo mesmo, sem dó, 🙂 Sem medo de ser feliz 🙂

E, por me sentir tão bem, quis levar essa tendência que já havia experimentado e que tem tudo a ver com meu estilo, para conferir o segundo dia da SPFWn43.

As cores, um clássico preto e branco, dão segurança para quem quer iniciar, mas não sabe como. Fora que são cores eternas e que não cansam nunquinha da Silva!

A modelagem é, sim, levinha, folgadinha, confortável. Não quis fazer nada além de dobrar as manguinhas e dar aquele truque gostoso de styling.

Já os acessórios foram usados para arrematar.

Um salto confortável nos pés para dar um ar mais chiquetoso que, inclusive, fez uma mistura de estampas discreta graças ao animal print suave e cor neutra. As tiras que sobem deixam o ar mais lady e com pegada um tantinho hot, fazendo a mesma jogada da renda da camiseta que usei por baixo.

Little bag vermelha pra acender a produção, papel bem executado também pelo batomzão vermelho Ruby Woo, clássico da MAC.

O pijama é da Talita Kume, loja da José Paulino que amo de paixão.

As sandálias, véia de guerra, haha, são Jorge Alex, sim, claro, meu queridinho!

Bolsa, da Tommy Hilfinger e Bracelete Bvlgari.

As fotos foram do talentoso Fernando Piovisan.

_DSC7615

_DSC7597

_DSC7589_DSC7545_DSC7541

_DSC7593

#UmataldeFlavia : a la esportiva na SPFWn43 DAY 1

Há tempos temos visto a tendência esportiva invadir as passarelas e ganhar as ruas também. Eu, que sou zeeeero esportiva, mas muito prática, kkkkkkkkkkkkk, aderi a moda a meu modo e trouxe a proposta para meu guarda-roupa.

Por isso, peças que prezam pela praticidade, que não amassam com facilidade (ou que não amassem mesmo, alô, poliéster, kkkkkkk), que podem se adaptar perfeitamente da minha mala de viagem para o dia a dia de trabalho, ganham meu coração 🙂

Vim bater esse papo com vocês antes de contar um pouquinho sobre o look eleito 🙂

Athleisure

“Não é novidade que a moda esportiva tem invadido o guarda roupa de mulheres no mundo todo, que cada vez mais optam por tênis no lugar de saltos, calças joggers feitas de materiais confortáveis e até peças de moletom que não ficam só reservadas para dias frios na academia. Conhecida como Athleisure (a mistura entra as palavras athletic + leisure), o termo que já entrou para o dicionário significa ‘roupas casuais feitas para serem usadas para a prática de exercícios e para uso geral’, e é uma resposta a um desejo crescente de consumidoras por peças mais práticas e confortáveis…

A força da tendência Athleisure vem principalmente da necessidade de pessoas que vivem vidas corridas por peças que se adaptem a tal estilo de vida, ou seja, peças que sejam funcionais e confortáveis, mas que não comprometam o estilo, e por isso vemos que cada vez mais marcas olhando para esse nicho. Sejam marcas esportivas como a Nike, que criou a NikeLab principalmente para desenvolver coleções em parcerias (como Nike x Olivier Rousteing), ou o oposto, onde marcas de moda feminina desenvolvem linhas esportivas, como a Stella McCartney para adidas, o fato é que o athleisure já roubou grande parte do market share da indústria de vestuário, e não mostra nenhum sinal de que deve diminuir nos próximos anos.”

Matéria da Revista Estilo “Athleisure: porque o visual esportivo está dominando as passarelas, o street style e as mídias sociais” (acesse a íntegra aqui).

 

Um pouquinho da minha escolha

Como o tempo mudou juuuuustamente no primeiro dia da semana de moda, às pressas, precisei pensar em um plano B, que é esse que vocês comtemplam agora 🙂

Quando bati minhas pupilas nessa bomber jacket na Adidas Store na rua de casa, durante minha hospedagem da terra dos cangurus, chorei. hahahahah

Bem, na ocasião estava meio muquirana, sem querer gastar os dólares que eu não tinha, haha. Já tinha visto antes e , quando voltei, foi difícil resistir. Mas como provar é de graça, né, mores, lá fui eu para o provador. Levei a bomber e um vestido com barra peplum white maravilhoso. Claro que me apaixonei.

Resisti o 50% off e sai da loja sem nenhuma sacolinha, até andar exatos um quarteirão. Não resisti, voltei e levei 🙂

Como gosto de um look esportivo, aaaaah, como gosto!

Zero óbvio? Fora da caixinha, então, nem se fala!

Por isso gosto taaaaanto, um tantão assim desse look!

Não tem segredos, já que são peças statement, ou seja, que fazem o look.

Para arrematar, boots com pegada coturno nos pés e, a cuca, beeeem…. Voltei da Australia como a garota do boné, kkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

_DSC6192_DSC6190_DSC6180

_DSC6160

_DSC6155_DSC6188

As fotos são do Fernando, fotógrafo maravilhoso 🙂

Vou colocar os créditos das peças, tá? > Vestido e Jaqueta, Adidas . Botas, CeA . Bracelete, Pandora . Bolsa, Tommy Hilfinger . Boné, Coca Cola Jeans

 

{SPFWn43} Alfaitaria + Street invadem a passarela e a moda descomplicada de João Pimenta

Foi minha primeira participação em um desfile exclusivamente masculino e: que experiência fantástica! Estreia com ninguém menos que João Pimenta.

Os detalhes impecáveis começaram logo pelos convites. Sim, no plural: minha mãe também foi conferir o desfile de pertinho, e amou! Quando fui buscá-los no ateliê do estilista, na minha rápida espera, pude enlouquecer com detalhes da coleção anterior e também sacar que se trata de um estilista com uma moda bem orgânica e limpa, uma moda benfeita, minuciosa e observadora. Foi incrível ver a ideia que  tinha do estilista se materializar no desfile que fez parte do primeiro dia do calendário fashion (13/03).

Expert em alfaiataria (nada óbvia e total fora da caixinha), no entanto, o desfile trouxe boas pitadas de “moda da rua”. Camisetas e moletons espertos se fizeram presentes e, junto com eles, o conforto de um sapato a la oxford nos pés, em parceria com a Melissa.

Com maestria, soube brincar com tecidos que bebem na fonte tecnológica, como o neoprene biodegradável. Referências geométricas e o bom oversized também não fizeram feio. Quanto às cores, azul, preto, branco e o eterno caqui dividiram a cena com um rôxo formidável (o militarismo também deu pinta).

Gostaria que vissem comigo como o desfile repercutiu na mídia.

“Numa época da moda em que itens básicos de streetwear ganham status de nobreza, a coleção de João Pimenta acerta em cheio. Empresta sua excelência de quase alta costura para peças de fácil aceitação como moletons, casacos de chuvas, camisetas. A manobra poderia ser meramente comercial, mas no mundo de João Pimenta tudo tem sentido, pesquisa, camadas e camadas de criação e conceito de uma moda que jamais busca a banalidade. Pelo contrário – os compradores da marca procuram não só uma alfaiataria impecável, mas uma alfaiataria que seja, além disso, levemente fora “da caixa”. A pesquisa de João vem bastante focada em materiais que seriam apenas casuais e esportivos mas com uma curadoria de luxo que os torna ainda mais tecnológicos. Materiais difíceis como o neoprene desenvolvido em forma biodegradável. Tecidos esportivos que funcionam como uma membrana impermeável de nylon para chuva, mas que deixa a pele respirar. Ou então um tricot normalmente usado para tênis, adaptado para camisetas que ficam sem costura. E apesar da alta performance da pesquisa são materiais que entram fácil no gosto masculino que procura função, beleza minimalista, um gosto perene. O que pode ser mais perene que um azul-uniforme, o cáqui, o preto? Parte da coleção força um pouquinho mais no aspecto trendy e vem com um jacquard preto e rôxo, por exemplo. Os toques de oversized foram bem medidos, de fácil vestimenta – apesar de estarmos numa época em que os volumões têm mais espaço, João foi equilibrado. “Acabei de completar 50 anos. Senti que era hora de me libertar. Eu sei que meu público é específico, mas eu descobri que posso ser mais sutil”, filosofa João, que decidiu suavizar suas doses de vanguarda para entregar uma moda mais fácil – não por isso menos sofisticada.” Por Juliana Lopes, da FFW (confira matéria completa aqui).

O desfile foi embalado pela música que faz parte do novo trabalho do músico Júnior Lima (sim, o irmão da Sandy) com o DJ Júlio Torres. Eu nunca tinha sequer escutado a música e simplesmente não consigo mais parar de ouvir. Que tal soltar o play? {Thinking about it, Manimal}.

Joao PimentaJoao PimentaJoao PimentaJoao PimentaJoao PimentaJoao PimentaJoao Pimenta

 

um desabafo sobre preconceito

vou lhe contar um historinha…

Era uma vez uma menina que sempre gostou muito de observar. Ela observava como seu pai tinha habilidades na cozinha, como sua irmã tocava piano muito bem, como sua mãe enfeitava seus cabelos. Ela amava usar laços no cabelo, do tipo, laços vermelhos bem gigantes.

Continuar lendo “um desabafo sobre preconceito”