Dicas úteis para uma viagem internacional

Viajar é a alegria – ou o desejo de muita gente. Culpa das fotos publicadas no Instagram, das lembranças que uma boa viagem desperta em nós, das novas descobertas, e por aí vai. Porém, antes de ir, é legal (e necessário) se preparar.

Separei cinco dicas úteis para quem está prestes a embarcar para uma viagem internacional – ou deseja colocar o primeiro carimbo no passaporte.

  1. Conheça seu perfil

Tem gente que curte a loucura da Times Square, enquanto outras acham um verdadeiro horror. O lugar que não é legal? Não. É apenas questão de gosto. E, por que não dizer de perfil? Acho que devemos levar não só em conta a realidade do local, mas adaptar o que você gosta ao lugar que irá conhecer. Seu perfil é mais low profile? Ou adrenalina a mil? É mais fashionista? Qual incluir na check list um museu que tenha uma área dedicada à moda, por exemplo? Selecione o que a cidade tem a oferecer de acordo com o que você gosta. Assim, consegue planejar uma viagem do seu jeitinho.

Times Square, NY. Foto Flavia Francellino

2. Vamos falar de dinheiro

Quanto custa 5 dias em Nova York? E 10 dias? E 30 dias? E a vida toda? (brincadeirinha) Independentemente do tempo a se passar, é importante que você se planeje.

Saiba visualizar seu orçamento.

Para isso, acho válido distribuir as possibilidades.

Tenha um Travel Money por perto, que são aqueles cartões recarregáveis. Gosto da praticidade do cartão, e verdadeiro pânico de receber só moedas de troco rs. Por isso, não deixo essa opção. Sou cliente há anos da Confidence Câmbios e super recomendo.

– Cartão de crédito é um mal necessário. E requisitado em reservas de hotel. E úteis em casos emergenciais. E dá uma certa moral se a imigração de te perguntar o que você tem $. Só não se empolgue tanto com ele, porque a conta chega com IOF.

Dinheiro em espécie. Com as oscilações de câmbio, vale ficar de olho nas cotações dia sim e outro também. Abaixou? Troque pequenas quantidades. Vale a pena garantir.

3. Chip de celular

Conheci Nova York de cima a baixo porque estava sem chip de celular nos meus primeiros embarques. Mas também perdi muito tempo.

Para aproveitar o máximo que puder da viagem com mais segurança, até por conta do idioma (se você não tem domínio), vale a pena ter um chip de celular (alô, Google Translate, hahahaha).

Na minha última viagem, fui com o chip de viagens da T-mobile, que comprei pela Easysim4u e me dei muito bem nos meus últimos 20 e poucos dias na Big Apple/Grande Maçã. O legal é que já saí com ele daqui do Brasil – na época, eu comprei no stand que eles tinham no aeroporto, mas você pode desfrutar da mesma comodidade, uma vez que eles entregam o chip na sua casa.

Ainda, você consegue definir o plano que melhor se adequa a sua necessidade e orçamento. Tem opção só de internet, internet ilimitada, internet + celular, com chamadas sem dor de cabeça para o Brasil, etc.

O mais legal é que, assim que pisar no destino de sua viagem, seu celular estará com internet disponível. Nada que ter que, cansada da viagem, ter que procurar um cantinho para garantir um chip.

4. Seguro viagem

Quando fui à Terra dos Cangurus, fui decidida a pular de paraquedas e ter essa experiência para contar e guardar na memória. Forem quase 30 dias fora de casa, e eu estive em segurança em todos eles. Isso porque investi em um seguro de viagem.

Lá fora, qualquer dorzinha de barriga te custa um rim, ou o preço de um carro popular. Não dá! A Seguros Promo está conosco nessa vida de aventuras. Usem meu código de desconto UMATALDEFLAVIA5 e ganhe 5% de desconto.

Clique aqui pra garantir o seu.

Lembrando que alguns lugares da Europa exigem seguro viagem para entrar no país.

5. Sobre malas de viagem

Com essa loucura de mudança na franquia de bagagem, vale a pena se atentar ao que entra na sua mala. Sempre verifique no site da companhia as regras de bagagem, para não ter surpre$as.

Bem, tenho dois costumes. Um deles envolve o hábito de escrever quais peças de roupas preciso levar e, em cima disso, exercito as possíveis combinações. Desta forma, tento evitar coisas desnecessárias na mala, porque eu sou daquelas que, se me darem ousadia, levo minha casa toda 🙂

Outro truque esperto que faço é levar uma mala dentro da outra em viagens para o Hemisfério Norte, aka, Estados Unidos, para poder me esbaldar nas pechinchas 🙂 Uma boa recompensa por maneirar no que levar para o embarque.

—-

E, vocês. Curtiram as dicas?
Que tal compartilha conosco o que vocês acham essencial também?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s